Como o fluxo de caixa da sua empresa pode ser rentável?

14 de abril de 2020
O fluxo de caixa é o registro das entradas e saídas de dinheiro de uma empresa.
Medido em um período definido, pode variar desde uma semana até um ano. Promoções e campanhas também entram nesse registro.
 
Para definir e entender o fluxo de caixa, além de calcular o período, é necessário saber o que entra e o que sai. Esse processo deve ser feito constantemente. Toda vez que uma venda ou compra é realizada, quando alguma quantidade de dinheiro entra ou sai do caixa da empresa, deve ser registrado.
 
A organização deste controle pode ser feita através de uma planilha simples ou até mesmo em um caderno. Proporciona um direcionamento exato de como está a situação financeira do negócio. Também mostra o total disponível ou quanto falta para quitar determinado pagamento.
 
Para fazer o fluxo de caixa, você deve utilizar das entradas e saídas, mais respectivamente, as receitas e as despesas da empresa. 
 
Entradas
As entradas são representadas por todos os recebimentos da empresa, geralmente, realizadas por vendas de mercadorias ou serviços prestados. Há outros valores que também podem representar ingressos e devem ser registrados como entrada.
 
A primeira e melhor delas, são as receitas, ou seja, o registro de absolutamente todo o dinheiro que entrou no caixa da empresa. É importante anotar em seu sistema a origem de cada valor, a forma de pagamento e a data do recebimento. 
 
Exemplos de entradas no fluxo de caixa:
recebimento de venda;
recebimento de duplicatas;
financiamentos ou empréstimos;
capital de novos sócios ou acionistas.
 
Saídas
As saídas são as despesas pagas pela empresa. Normalmente, estão relacionadas com o pagamento de contas do dia a dia, como salário de funcionários, fornecedores e contas diversas (fixas e variáveis).
 
Também vale ressaltar que todas as despesas devem constar nas planilhas de organização.
 
As contas fixas são aquelas pagas como: aluguel, telefone, água, luz, folha de pagamento. Mesmo que sofram uma pequena variação de acordo com o mês, os valores são sempre próximos um do outro e devem compor a planilha.
 
Os custos variáveis são representados como despesas emergenciais ou momentâneas. Como, a contratação de um serviço ou algum tipo de conserto.
 
Assim como as receitas, é preciso considerar os parcelamentos feitos pela empresa, projetando cada valor com a sua respectiva data de pagamento, para maior controle.
 
Importante destacar que o preenchimento desses valores contribuirá com o planejamento geral da empresa. Assim, desenvolvendo novas estratégias, inclusive, quando for necessário para aumentar os lucros mensais do negócio.
 
Exemplos de saídas no fluxo de caixa:
compras (fornecedores);
despesas;
impostos;
juros;
dividendos.
 
A importância do fluxo de caixa
A falta de controle financeiro de uma empresa prejudica a operação em curto ou médio prazo. Um problema, como atraso em pagamentos de credores, pode afetar a manutenção do negócio, ocasionando a não ter dinheiro suficiente para as necessidades imediatas da empresa.
 
Vale salientar que a rentabilidade de uma empresa não precisa, necessariamente, ter bastante liquidez. Por isto, saber fazer uma gestão apropriada pode fazer a diferença e acabar compensando uma eventual limitação financeira.
 
Para o fluxo de caixa dar certo é preciso ter bastante atenção. São essenciais para esse controle fazer anotações que correspondam à realidade e não se esquecer de passar os valores para a planilha de organização. Esses são os mínimos cuidados requeridos para uma eficácia no controle financeiro.
Voltar